domingo, 7 de setembro de 2008

Obreira

Mais uma provação. Uma fase se encerra agora e sinto que cumpri meu dever. Poderia ter feito melhor, todavia terei tempo de consertar o que fiz de errado.

Eu fui a último a sair. Mas por que isso? Logo, logo irei saber, apesar de depois ter que esquecer de novo. É pro meu próprio bem. Às vezes, saber demais acaba nos prejudicando.

Olho pra o que construí. As bases não estão tão seguras como poderiam estar, mas a partir de agora a tormenta não vai ser tão grande. A entrada ainda é meio restrita e de difícil acesso, mas isso irá mudar com o tempo. Além do mais, o local é amplo e todos se sentem à vontade. Quando há uma reclamação, tenta-se mudar, mesmo que seja difícil e se tenha que destruir algo que antes era importante. As janelas tem fumê e são bastante amplas. Talvez eu retire o fumê mais tarde, porque reclamações existem aos baldes. O espaço foi bem aproveitado, tanto que ninguém o explorou por inteiro. Muitos reclamam porque a iluminação é fraca e falha, porém é algo que também irei mudar.

A cada hora que passa eu posso mudar o que construí aos poucos. Quem tem pressa não poderá ver o quão magnífica será minha obra. Agora mesmo, parei para descansar um pouco.

Descansando, eu planejo o que farei na próxima temporada.

3 comentários:

thyago david. disse...

Sempre há tempo para consertar erros .. ;)

Hum..
que venha a nova temporada.. =DD


Beijos.

Guilherme Crubellati disse...

[2] pro camarada ai de cima...

Ótimo texto! Esse sim deveria virar um clássico!! \o/
Amo-te
=***

A escritora disse...

[3]Pro que o tio aó em cima disse

bjus melados de gloss