sábado, 26 de julho de 2008

Sem ele eu não consigo

Mais uma vez, me sinto impotente. Mas essa impotência é algo que, apesar de me fazer sofrer, eu não quero perder nunca. E tenho quase certeza que não vou perder. O que sinto não é algo para se dissolver tão facilmente.

Nesse momento, eu só consigo pensar nas burradas que cometi tentando esquecê-lo. Entreguei-me nos braços de tanto outros que não faço idéia de quantos foram. Satisfiz meus prazeres carnais, mas tudo isso não adiantou. Eu o imagino em toda boca que beijo e em todo corpo que toco. Não é a mesma coisa, eu sei. Mas é o que me faz estar viva agora.

Às vezes me sinto culpada por usar as pessoas somente pro meu prazer e depois descartá-las, com se fossem lixo. Dessa forma eu até me vingaria por todas as vezes que fizeram isso comigo. Por todas as vezes em que alcancei o paraíso e o inferno em um curtíssimo espaço de tempo. Por todas as vezes que me usaram dos meus sentimentos mais puros para satisfazer seus desejos momentâneos. Mas não. Eu não sou assim! Eu me sinto a pior das criaturas quando vejo que estou usando alguém para tentar aliviar minha dor e meus desejos carnais. E me sentindo pior ainda por saber que não consigo controlar esse instinto inútil e asqueroso de tentar encontrar aquele que amo nos outros.

Preciso acabar com isso antes que eu machuque mais alguém.

Mas para isso preciso revelar o que sinto.

Quando encontrei meu amado soube, no mesmo momento em que olhei no fundo de seus olhos, que ele era o que sempre procurei. E o tempo me fez perceber que eu estava certa. E com o próprio tempo veio a certeza de que ele nunca sentirá nem um décimo do que eu sinto por ele. Eu sei que ele me ama, mas não do jeito que eu gostaria.

Pode ser loucura, eu sei, mas eu vou continuar aqui. Fugir seria pior ainda. Deixaria parte vital do meu ser para trás e mergulharia num mar de lamúrias novamente. Estar ao seu lado é o que importa, mesmo não podendo segurá-lo em braços e lhe dizer que ele me devolveu a vida, mesmo que ela agora seja totalmente dependente dele.

Se há esperança de que um dia ele venha pra mim, eu não sei. Só sei que sua presença é essencial pra que eu continue vivendo. Quando ele parte, leva todo o sentido da vida junto com ele, me deixando novamente sem rumo. E é segurando na mão dele que eu quero encontrar a felicidade, custe o tempo que custar.

♫ Já vai longe o tempo
Mas te espero
Um dia pode ser
Talvez eu volte a ver
Todas as cores que fugiram junto com você

Eu só digo a quem me pede
Que eu tenha um bom coração
Que me dê uma razão






Obs: Esse texto é impessoal!




Ou não...

3 comentários:

Guilherme Crubellati disse...

Impessoalidades pessoais são fodas, não? xD
Manda ver, Hyst \o\
Bjo
=**

Anônimo disse...

Nossa Hyst,
esse texto me tocou profundamente.
A impessoalidade dele encontrou eco numa experiencia pessoal minha.

Bjus Hyst

thyago david. disse...

Isso vale a pena.

;]

Beijos moça.